“Flying is learning how to throw yourself at the ground and miss.” – Douglas Adams

November 12, 2008 § Leave a comment

Um passaporte permite ir e vir. Permite conhecer. Permite mudar como tu vê o mundo, mas não deve mudar quem tu é. Um passaporte pode ser uma porta para novos caminhos. Para novas pessoas. Para novos amigos ou novos amores. Um passaporte pode dar a chance de se apaixonar por um lugar e não querer ir embora. Um passaporte não garante companhia. Ele só garante uma viagem, que pode ter sentido ou não. O mínimo que pode acontecer é tu voltar.

Planejar uma viagem é algo que leva horas de planejamento, que é dispendioso, mas que ao mesmo tempo parece não ter preço. Eu tô com aquele sentimento que eu tinha quando tinha decidido seguir carreira como diplomata, de que eu vou acabar morrendo solteira e sem filhos, porque não tem como fazer tudo o que eu quero fazer e ainda ter uma família. Ir aos lugares que eu quero e fazer todas as faculdades que eu quero, acho que eu preciso de mais uns anos de vida além da média humana. Eu não me sinto privada de nada ao fazer uma escolha dessas, tem gente que prefere a segurança do lar, eu acho que prefiro a amplitude do mundo. (que brega!)

Tá, essa post foi aleatório.

Tagged: , ,

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading “Flying is learning how to throw yourself at the ground and miss.” – Douglas Adams at "He didn't discover the world and it's people, he created them.".

meta

%d bloggers like this: